Crianças visitam bastidores e aprendem sobre sustentabilidade

O Beto Carrero World nas últimas semanas abriu as portas para cerca de 400 crianças da rede municipal de ensino de Penha. As visitas marcaram o início do projeto “Bastidores de Beto Carrero World: uma contribuição para a educação municipal”. Neste lugar de descobertas e curiosidades, os alunos conhecem in loco as medidas de responsabilidade ambiental adotadas pela empresa, assim como a importância dos profissionais que trabalham em diferentes áreas para dar vida à magia.

Para ajudar na formação dos pequenos cidadãos, o Beto Carrero World transmite os valores de respeito ao meio ambiente. “Estamos abertos para receber escolas e mostrar nossa percepção de gestão socioambiental, proporcionando conhecimento através da vivência”, comenta Rosiane Souza de Souza, coordenadora do Instituto Beto Carrero. Entre as ações, as crianças conhecem os programas de preservação de espécies, o tratamento de efluentes, as áreas de preservação e a reciclagem dos resíduos gerados dentro do Parque.

“A ideia é ensinar conceitos de educação ambiental desde as primeiras séries, gerando uma cultura de sustentabilidade e propagando nossos valores”, explica Daniel Nascimento, gerente de Desenvolvimento Humano e Organizacional do Parque. Os colaboradores abraçaram o Projeto e são essenciais para o desenvolvimento do mesmo. A parceria com a empresa Sodexo também é destaque, pois custeiam parte da alimentação das crianças durante a visita.

Em agosto, as visitas aconteceram em parceria com o Projeto “Penha e seus encantos”, promovido pela Secretaria Municipal de Educação de Penha e destinado aos alunos do terceiro ano, que conhecem também outros importantes pontos da cidade. “O Parque é o nosso maior empreendimento. Neste sentido é interessante, porque as crianças conhecem como funciona e como é o ambiente que muitos pais e familiares trabalham”, comenta Gertrudes Rogalsky, coordenadora educacional da Secretaria Municipal.

Aprendizado e vivência

A ação no Beto Carrero World é uma aprendizagem diferente para as crianças e foi ainda mais especial para Luiz Dias Menezes, 11 anos. Aluno da Escola Rubens João de Souza, o menino teve microcefalia e tem dificuldade para aprender a ler e escrever. No entanto, possui uma ótima capacidade de se expressar verbalmente. “Esta visita é de uma riqueza enorme para ele porque ele guarda bem as informações visuais, cada detalhe. Ele é uma criança espetacular”, elogia a professora Nívia Maria Bento Santana.

“O Parque bota o lixo para reciclar. Aí por isso eu prestei atenção, não pode jogar fora, eles reciclam. Quando eu chegar em casa eu vou falar – mãe não pode colocar lixo no chão. Tem que separar primeiro as garrafas, depois separar os vidros, depois botar caixa de papelão separada. Não pode botar fora, tem que entregar para o homem do lixo”, responde o menino ao ser perguntado sobre o que aprendeu.

 

 Fonte: Instituto Beto Carrero e DHO

 

Esta entrada foi publicada em Sem categoria. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *